O primeiro contato com literatura erótica a gente nunca esquece -v-

Titulo polêmico, não? Desculpa a ousadia, mas é uma verdade sobre nós! Estava conversando com uma amiga ontem sobre o quanto a gente evolui com o tempo em muitas coisas, mas principalmente na maturidade em ver o erotismo. Por exemplo, quando eu era mais nova eu não conseguia escrever hentai, não conseguia conversar sobre certos assuntos e morria de vergonha de falar sobre isso. Hoje, apesar de eu ser ainda tímida, já encaro uma cena de sexo mais tranquilamente e até acho engraçado o modo super exagerado que isso é mostrado as vezes (claro que isso é um exemplo focado em mim e tem variações). A questão veio quando tocamos na pergunta “quando você leu algo erótico pela primeira vez?” e foi inacreditável como nós sabíamos na ponta da língua a resposta.

Isso não faz de nós ninfomaníacas por sexo e blábláblá, acontece que somos seres humanos e temos curiosidade sobre o que é desconhecido (não importa o que seja), então é um marco muito grande para nossas vidas e algo necessário para o nosso amadurecimento. Fiquei remoendo meus cadernos antigos para achar os dois poemas que me introduziram o erotismo e quando achei tirei fotinhas para compartilhar aqui! Fiquei tão feliz de saber que ainda os tenho guardados… Foi no primeiro ano do ensino médio, não sei se foi cedo demais ou ousado demais, só sei que foi importante para construir um amadurecimento muito forte, além de entender mais claramente o que está explicito e implícito em muitos livros, fotos etc. Isso reflete muito nas minhas fanfics hoje em dia, ao qual me sinto mais a vontade em escrever sobre de um modo mais poético, brincar com as palavras.

Os dois poemasWhatsApp Image 2017-03-09 at 17.10.56 são do Carlos Drummond de Andrade.

O primeiro em si se chama A Língua Lambe:

A língua lambe

A língua lambe as pétalas vermelhas
da rosa pluriaberta; a língua lavra
certo oculto botão, e vai tecendo
lépidas variações de leves ritmos.

E lambe, lambilonga, lambilenta,
a licorina gruta cabeluda,
e, quanto mais lambente, mais ativa,
atinge o céu do céu, entre gemidos,
entre gritos, balidos e rugidos
de leões na floresta, enfurecidos.

O segundo se chama Para O Sexo A Expirar:

WhatsApp Image 2017-03-09 at 17.11.18Para o Sexo a Expirar

Para o sexo a expirar, eu me volto, expirante.
Raiz de minha vida, em ti me enredo e afundo.
Amor, amor, amor – o braseiro radiante
que me dá, pelo orgasmo, a explicação do mundo.

Pobre carne senil, vibrando insatisfeita,
a minha se rebela ante a morte anunciada.
Quero sempre invadir essa vereda estreita
onde o gozo maior me propicia a amada.

Amanhã, nunca mais. Hoje mesmo, quem sabe?
enregela-se o nervo, esvai-se-me o prazer
antes que, deliciosa, a exploração acabe.

Pois que o espasmo coroe o instante do meu termo,
e assim possa eu partir, em plenitude o ser,
de sêmen aljofrando o irreparável ermo.

Depois disso eu fiquei mais madura para todo tipo de literatura, comecei a perceber que todo tipo de literatura é válida, não importa se for literatura adulta ou infantil, se você gosta tá valendo! Enfim, só queria compartilhar algo que me marcou muito e passei a recordar um dia desses…

Anúncios

Isso não é uma retrospectiva, mas algo assim (:

15539003_789011511259147_4040510897691557888_n

Oi, boa noite! Tudo bem com você? Eu sei, você espera que esse seja mais um texto sobre tudo o que aconteceu comigo esse ano, não é? Eu te garanto que até pensei sobre isso, mas já farei algo parecido no Tulipa, então vamos variar um pouquinho! Hahaha

Não sei definir as coisas em palavras, fico na dúvida sempre, mas se fosse para decidir de fato eu acho que 2016 para mim foi sinônimo de Mudanças. Sério, o que eu sei da vida para dizer sobre mudanças? Nunca passei dificuldades reais na vida se formos equiparar com tantas outras pessoas nesse mundão, mas é verdade também que ainda sou uma pessoa com muitos sentimentos guardados no peito. Bem angustiante tudo isso, porém a vida tem dessas…

Mudar nunca foi meu forte, apesar de eu viver de mudanças físicas (principalmente meu cabelinho, esse já sofreu muito nas minhas mãos). Odeio ter que mudar o que já tá pronto, já está feito e isso tudo porque tenho medo do que me espera. Sabe, passa-se mil e um questionamentos sobre o que pode vir acontecer no futuro e isso me assusta. Entretanto, como já disse aí para cima, foi um ano de muitas mudanças. Tive que aprender a lidar com o ritmo de uma dança nova e até pegar os passos… Ai ai como eu caí! Lidei com duas perdas recentes, meu avô e meu melhor amigo, foi muito difícil não ter mais com aquele ombro amigo para contar todos os dias. Foi muito mais difícil lidar que eu não havia passado para Letras e sim para Pedagogia. Foi ruim demais lidar com dois foras seguidos e perder meu antigo notebook. A dor mais recente foi ter caído no banheiro, estou toda debilitada 😦

Contudo, tudo nessa vida passa e uma dádiva do ser humano é que você passa a se adaptar com tudo depois. Não foi diferente comigo e logo já estava dominando essa dança. Não ter mais meu melhor amigo aqui me proporcionou a conhecer novas pessoas (Roberta ❤ Milena ❤ e mais uma galera da faculdade) e dar mais valor nas que estão o tempo todo ao meu lado (The Mesa sempre ressurgindo das cinzas). Meu avô pode não estar aqui comigo, mas sempre o terei em meu coração para me recordar e acolher em seu colo, além disso acabei descobrindo que Pedagogia é muito legal e passei a realmente querer ser uma professora dedicada aos meus tototinhos – fora que a vida nunca é tarde demais para ir atrás de outros cursos. Foras… Quem liga para foras? Entre estar com um cara que apenas me queria usar para uma vida solteira e de puro amor próprio, é muito melhor se amar hehehe! Meu note se aposento, mas olha só como a vida é recompensadora e ganhei um novo bem melhor e atualizado que o outro e de quebra um novo celular também (agora posso me divertir com o Snow :3). Sobre cair no banheiro: não tem nada de bom nisso, desculpa.

A entrada no kpop e também as inúmeras conquistas que venho ganho a cada dia só me faz pensar o quão devemos valorizar mais as mudanças e viver o momento. Nada acontece por acaso, o retorno pode te surpreender e essa felicidade momentânea é tão gostosa de sentir. É como se você estivesse comendo seu doce preferido e ele nunca acabasse. Sempre fui a emo incompreendida da turma, mas esse ano me permiti a usar um vestido e deixar a franja de lado. Tentar algo mais indie, mais kpop e mais cor e sabor. Foi legal dizer que nem tudo é um mar de tristeza e, apesar de sempre dar um pouco errado no começo, sou uma pessoa bem feliz e agradecida a tudo, mas em principal ao natal mais legal da minha vida. Tive que reler meu livro predileto para entender o real motivo da aprendizagem, obrigada Clarice! (Uma Aprendizagem ou O livro dos Prazeres). Obrigada meu primo Mateus, você talvez nunca saiba sobre isso, porém você me deu o melhor presente de natal que era justamente renascer em minha família o espirito natalino! ❤

Não queria fazer uma retrospectiva, mas no fim acabou sendo. Desculpe-me. O que eu quis dizer com isso tudo é que não devemos temer as mudanças, as vezes a tempestade precisa acontecer para que se possa observar um belo arco-íris depois… Para 2017 eu não espero nada além de saúde e prosperidade, que seja um ano muito abençoado de coisas boas. Que possamos todos lidar com as mudanças e sempre nos reerguermos de todas as dificuldades que a vida nos impões de vez em sempre.

Obrigada por ler, meu caro leitor. Nos vemos muito em breve, eu espero! 😀